23 maio 2010

Este fio prende-me. Prende-me como o riso de uma criança, ou o meu. Não sei se amanhã vais voltar e isso nem tu sabes, mas sei que, eu vou estar sempre aqui á tua espera. Os meus e só meus ponteiros andam cada vez mais devagar, ando ansiosa e só penso em ti.  Ontem voltei a relembrar como é lindo o mar, ele e tu. No fundo ambos são parecidos: tu levas-me pra onde onde quiseres e quando quiseres em função do teu bem-estar e não do meu. Gostas de te sentir amado, desejado e acredita que eu também.
Este grande fio prende-me a ti. Não me abandones outra vez, juro que te faço feliz, juro que nunca te vou deixar cair, aterrado em mágoas, em choro como tu me fazes. Eu não, não te farei isso, porque apesar da tua indiferença e do teu individualismo, eu sou eu, tu és tu. Somos tão iguais e tão diferentes, eu amo-te e tu não.
Dá-me uma alma nova, igual à tua. Seremos felizes, para sempre.

8 comentários:

Sara Almeida disse...

Ivone, escreves tão bem :)

rita disse...

gosto muito dos teus textos ivoniix ;}

rita disse...

está muito nice xD

morabeza disse...

adorei miúda


gostei mesmo

(*)

Patrícia Costa disse...

es liiinda

tua pequena disse...

nao sabia que tinhas um blog :p

tua pequena disse...

ainda bem que gostas ivone

Patrícia Costa disse...

uau! ovelhinha!