23 novembro 2014

Se alguém pensa que já encontrou a felicidade, que pense de novo, porque não te conheceu. Se alguma vez eu achei que amei, enganei-me. Foste muito mais do que uma pessoa, um abrigo, um brilho pela manhã, foste mais do que eu possa tentar explicar. Foste meu namorado, foste a minha casa, o meu quarto, a minha sala, foste o meu pensamento, a minha dor, as minhas lágrimas. Sempre foste mais do que pensaste que eras, e tu já eras tanto. Custa-me falar de ti, custa-me ter que falar de ti para quem não quer ouvir, custa-me tentar resumir para alguém o que foste para mim. Não entendem, nunca ninguém vai entender.
Sinto falta do teu cheiro, dos teus braços, daquele riso só teu, da maneira que me fazias sentir. Sinto falta de alguém que me ame como tu já amaste, de alguém que abdique do seu próprio futuro para que pudessemos ter um em conjunto, de alguém que me pusesse em primeiro lugar em tudo. Sinto falta dos teus lençóis, da tua cama, das tuas paredes cheias de mim, das tuas roupas que me ficavam tão bem só por serem tuas. Preciso de te sentir, mais do que tudo, e só tenho medo que tu precises de sentir alguém que não seja eu. Só de pensar fico angustiada, é um aperto tão grande não saber o que te vai na alma, não saber se ainda ocupo algum cantinho na tua vida, se quando passas por algum sitio ou alguém te lembras de mim, sei lá, apenas quero que te recordes de algum momento nosso e que o queiras de volta. É o que me faz não te deixar para trás, a esperança que percorras o mesmo caminho de sempre para me amar outra vez, mesmo sabendo que isso pode nunca voltar a acontecer. Eu sei que não vai voltar a acontecer, habituaste-me mal. Afinal de contas a culpa é tua, por me teres feito amar-te tanto, sem saber o que fazer com este vazio em que me deixaste. Foste mais do que uma pessoa, é verdade, foste mais do que eu mereci. Vou amar-te sempre, por favor nunca duvides disso, porque mesmo que ninguém me queira ouvir, lembra-te que um dia, um dia tu estiveste sempre aqui, e eu aí. 

13 agosto 2013

Acho que até a este momento não estava preparada para te escrever de verdade, de te dizer o que mereces saber. Se me perguntassem como te descreveria numa palavra eu não saberia responder, mas agora sei. Maravilhoso.  Antes eu dizia que ansiava por libertação, que ansiava por ser infinita. Quando estava perto de ser feliz a minha face acabava sempre por se encher de lágrimas. Olhava para tudo como sendo indiferente, dizia que tudo era normal. Dizia que era intocável e que tudo era premeditado.  Vivia dentro de uma personagem que tinha criado, que morria de medo se o passado alguma vez me atormentasse, com a alma de quem já viu o que era sofrer. Até tu apareceres e fazeres de mim a melhor pessoa que eu alguma vez poderia ser. Fazes-me caminhar para ti, sem frieza e sem limites, com a certeza de que a sorte está do nosso lado. Quando um dia gritarmos um com o outro sobre quem lava o carro, sobre quem vai estender a roupa ou mesmo quem tem que fazer a cama....eu vou beijar-te durante uma hora inteira. A verdade é que nos encontramos um no outro. E queres saber uma coisa? Hoje já nem o escuro me assusta. Amo-te, nunca te esqueças.