23 março 2010

happiness?

No jogo da vida, as derrotas deixam marcas, as feridas fazem mesmo doer, muitas vezes não recuperamos aquilo que perdemos. Estamos ancorados à realidade e, por isso, para nos divertirmos, para nos sentirmos como aventureiros no meio de tudo isto, temos necessidade de coragem. E não de calarmos aquilo que dentro de nós nos chama a um sonho, chama por aventura, pede para fazermos com a vida qualquer coisa que seja grande.
Estou convencida de que o mundo não é um mero pântano para onde homens e mulheres se atiram... e morrem. Alguma coisa magnífica está a ocorrer aqui no meio de crueldades e tragédias, e o desafio supremo à inteligência é fazer prevalecer o que há de mais nobre e melhor na nossa curiosa vida. Acho que o acto mais específico da fortaleza, mais do que atacar, é aguentar.
Só dói verdadeiramente a falta de sentido porém, em tudo o que faço apresso-me lentamente.
Leva tempo até percebermos que existe paz, na realidade acredito plenamente nisso.

2 comentários:

Fl[á]via disse...

acreditar é a forma de tu encontrares a paz. acho que o que mais precisas, é das palavras amigas que te fazem descançar, nem que seja por 3 minutos. sabes que elas poderão sair de mim, sempre que quiseres.

rita disse...

amo os teus textos (L)