19 setembro 2011

Recuso-me a acreditar no para sempre. Todos nós já fomos tão felizes com pequenas coisas, todos nós já nos sentimos um pouco livres, já todos tivemos vontade de sair daqui sem nada... e partir, todos sonhámos com uma vida intensa, pacífica e longe de confusões. Eu quero mais, espero muito da vida. Espero demais dela. Esperei demasiado de ti. Tanto esperava que numa fase menos boa, eu acreditei nessa estúpida palavra, sempre. Onde será que estás agora? O que estás a fazer? Em que estás a pensar? Se eu acreditasse no sempre agora não estava aqui. Estava neste momento a apanhar um comboio para o Porto, a implorar pelo teu amor, porque adorava a pessoa em que me tornava quando te pertencia, e adorava a pessoa em que te tornavas quando tu me pertencias. Mas, e se nós não nos tivessemos conhecido? Se não te conhecesse onde pararia eu agora? E tu? Nós não aprendemos... nunca aprendemos com nada nem ninguém. Fingimos que aprendemos e lidamos com isso da melhor maneira. Tem cuidado onde habitas coração... tem cuidado.

4 comentários:

disse...

adorei ivone, adorei!

Sara Martins disse...

Adorei querida, muito!

Cassandra disse...

Já caí no erro de acreditar no 'sempre' e que 'nos conhecíamos' mas no fim, acabamos por ver que aquilo que fomos não passou de .. uma aprendizagem, pela qual sofri imenso. E sim, como tu, prefiro ser feliz com pequenas coisas que afinal, são tudo .. pequenas mas grandes! E não sei se concordo com a tua afirmação de que não aprendemos com nada nem ninguém .. Quando a dor passar vais ver que aprendeste.
kiss, Cassandra

maria gabriella disse...

não acredito em "para sempre". Na minha perspectiva, a vida tem de ser vivida, e por isso se necessitarmos de estar com mais uma pessoas é isso que devemos fazer. já alguém o disse: nada é eterno! :) gostei!