08 agosto 2011

A vida é tão melhor quando estamos de olhos fechados. Percorre-me uma enorme frieza quando os tenho abertos. Respiro saudade, penso saudade, como saudade, bebo saudade... falo saudade. Falas-me quando os fecho. Ouço a tua voz. Sorrio porque a reconheço. Não vês, mas sabes que é assim. Não vês porque não andas por cá, mas queres vir. Não podes, mas queres. Quando? Onde? Não interessa. Ainda acredito que uma brisa pode fazer de mim pássaro, que a verdade se mantém no cimo da minha cabeça, que a exaustão não passa de uma palavra e que os sentimentos que nutro me vão levar ao extremo. Acredito porque não sei. Acredito porque acreditar é mesmo isso... não saber. Quem disse que não se pode ver de olhos fechados? Quem? Vejo-te todos os dias. Nesses dias, estás comigo. Não que não estejas sempre -porque estás- mas há algo que me diz "Anda, aproveita. Não acordes agora. Não, não acordes." Faço-me a vontade e tento... e consigo por algum tempo. Não é suficiente, mas eu sei que tem que ser assim. No entanto, abri os olhos e... acordei a rir.

6 comentários:

Sara Almeida disse...

Magnífico, obviamente!

matilde valentim disse...

n espereava um final engraçado como esse ahah:) mas adorei ler-te e adorei ainda mais sbr q há alguém q tambem preferia andar por aí de olhos fechados a respirar, pensar, comer, beber e falar do q nos apetecesse..
*

Sofia Moreira disse...

adorei Ivone :)

Cáa M. disse...

Que lindo ! :) Sonhar e acreditar é sempre bom !

disse...

adoro ivone linda.

disse...

está lindo ivone :)