17 junho 2011

life is a memory

Parece que já nem nos conhecemos. Parece que já não sabes como gostar de mim, não sabes como me perceber. Já não percebes os códigos, as intenções.  Os sacrificios, o que faria por ti. Já te irritas. Já te chateias. Já não percebes a minha teimosia, as minhas atitudes. Oh! Serás sempre a minha e insubstituível, amiga. Uma excelente amiga. Só tenho pena as vezes em que és tão fria, arrogante como se nada te afectasse e eu não importasse, entretanto. Tu amas-me, eu sei. E eu amo-te a ti. E se te jurei um dia que nunca te iria deixar - e já sabes (se ainda souberes) - que eu cumpro com o que prometo, não te deixo. Venha quem vier. Aconteça o que acontecer. Espero que, ainda, o sentimento seja mútuo. Siga!

E agora, algumas fotografias:

5 comentários:

matilde valentim disse...

durante o texto senti q era a "tua amiga" e entendo tão bem o teu lado! mas tens q procurar razões p encontrar o "dela". existem sp;)
*

matilde valentim disse...

hmm.. se os tempos mudam, as pessoas igualmente e os interesses tambem é matemático q a amizade mude. chama-se evolução, n necessariamente uma quebra..
digo-te isto pq o "meu caso" está resolvido e foi assim q consegui entender as variadas perspectivas q uma amizade pode ter:)

adriana. disse...

até um certo ponto acho isso bom. mostra que as pessoas lutam por algo que não querem que acabe. acaba por transmitir uma força enorme vindo dessa pessoa.

ines disse...

todas as amizades têm altos e baixos

dianafilipa. disse...

tens que aguentar os obstáculos da vossa amizade. não é só a vossa que os têm, todas têm. e uns mais fáceis outros mais difíceis. simplesmente o que temos de fazer é supera-los e nunca deixar quem nunca nos deixou :')
, sigo-te.