16 maio 2011

saving

Como é que vai ser daqui para a frente? Parece-me que nunca nada é suficiente, nada chega para os demais. Onde estão os gestos, as palavras sentidas? Diz-me…onde? Não te quero aqui por inteiro, não te quero conhecer totalmente bem. Não quero. Não restaria nada para apreciar depois…noutros tempos. Porque sim, eu quero manter-me perto. De ti. Quero que te percas comigo. Eu encontro-te a ti…tu encontras-me a mim. O típico joguinho da cabra cega, sem vendas e só com dois elementos. Agrada-me, bastante! Mas não me abanes muito,  não quero cair. Não me empurres com demasiada força, podes magoar-me. Tirando isso, faz de mim o que quiseres. Perdidamente…apaixonada.

7 comentários:

ines disse...

muito obrigada ivone
isto está delicioso, que docinho!
vou seguir (:

joana disse...

um uau também para este texto*

carina, disse...

muito obrigada ((:

disse...

amei amei*

Mafalda disse...

Adoro, adoro*

Sara Almeida disse...

magnífico! como sempre :)

Catarina Brito disse...

LINDO